Grass Snake (cobra-de-água)

Snake (first shot)

Scientific name: Natrix natrix

Parque da Cidade (Guimarães – Portugal)

Cobra-de-água – Parque da Cidade

The Grass Snake (Natrix natrix), sometimes called the Ringed Snake or Water Snake is a European non-venomous snake. It is often found near water and feeds almost exclusively on amphibians.

A cobra-de-água-de-colar (Natrix natrix) é uma cobra-de-água presente em quase toda a Europa, parte da Ásia e Norte de África.

Meadow Grasshopper (Gafanhoto-do-campo)

Scientific name: Chorthippus paralellus

Guimarães (Portugal)

Gafanhoto-do-campo – Guimarães

The grasshopper is an insect of the suborder Caelifera in the order Orthoptera. To distinguish it from bush crickets or katydids, it is sometimes referred to as the short-horned grasshopper. Species that change colour and behaviour at high population densities are called locusts.

Os gafanhotos são os insetos pertencentes à subordem Caelifera da ordem Orthoptera, caracterizados por terem o fémur das pernas posteriores muito grandes e fortes, o que lhes permite deslocarem-se aos saltos. Algumas espécies formam enormes enxames que podem devastar grandes plantações; no entanto, essas pragas são utilizadas por alguns povos como fonte de proteína.Trazido da China
Os gafanhotos são polífagos, se alimentam de folhas de vários tipos de plantas tais como: citros, arroz, soja, pastagens, alfafa, eucalipto e outras.

Bumblebee (abelhão)

Scientific name: Bombus terrestris

Caldas das Taipas (Portugal)

Abelhão – Caldas das Taipas

A bumblebee (also spelled as bumble bee) is any member of the bee genus Bombus, in the family Apidae. There are over 250 known species, existing primarily in the Northern Hemisphere although they are common in New Zealand and Tasmania.

Mamangaba (Brasil), abelhão, zangão ou abugão (Portugal), besouro-mangangá, marimbondo-manganga, ou ainda vespa-de-rodeio é uma designação comum dada às abelhas do gênero Bombus, de ampla distribuição no Brasil e em Portugal. Possuem abdome largo e piloso, geralmente de coloração negra e amarela. Medem por volta de 3 cm de comprimento.

Essas abelhas podem ser solitárias ou, em certas épocas do ano, sociais. Quando sociais, vivem em colmeias de dez a duzentos indivíduos. São grandes, peludas e emitem um zumbido alto ao voar. Elas têm grande importância na polinização de muitas plantas. Uma mamangaba raramente ferroa, a não ser que seja provocada; caso ocorra, sua ferroada é muito dolorosa. Ao contrário das abelhas, uma mamangaba pode ferroar várias vezes.

Parque da Cidade (Guimarães)

Surprisingly for many Guimaraes City Park (Parque da Cidade) is one of the best places in the north-west of Portugal to watch animals and wildlife. The park is very close from the city centre and has about 30 hectares. Has many green areas, a lot of trees and an artificial lake in the middle of the park.

O Parque da Cidade Guimarães é um melhores dos locais do norte litoral de Portugal para se observar vida animal. O parque fica bastante próximo do centro da cidade e tem aproximadamente 30 hectares, o equivalente a outros tantos campos de futebol. Tem muitas árvores, muitas zonas verdes e ainda um lago artificial.

Artificial lake

Guimaraes City Park

(Parque da Cidade de Guimarães)

Location: Guimarães (Portugal)

Fauna:

Mammals – Rabbit, Squirrel, Hedgehog, Mole, Harvest mouse, etc.

Birds – Hoopoe, Meadow pipit, White wagtail, Common Stonechat, Robin, Black Redstart, Wood pigeon, Jay, Green woodpecker, Great spotted woodpecker, Nightingale, Siskin, Gray flycatcher, Little owl, Common barn owl, etc.

Reptiles – Salamander, Ocellated lizard, Small lizard, Montpellier snake, Grass snake, etc.

Amphibians – Frog, Toad, etc.

Mamíferos: Coelho, Esquilo, Ouriço, Toupeira, Rato, etc.

Aves: Poupa, Petinha-dos-prados, Alvéola-branca, Cartaxo-comum, Pisco-de-peito-ruivo, Rabirruivo, Pomba-torcaz, Gaio, Pica-pau, Rouxinol-comum, Pintassilgo-verde, Papa-moscas, Coruja, etc.

Répteis – Salamandra, Sardão, Lagartixa, Cobra-rateira, Cobra-de-água, etc.

Anfíbios – Rá, Sapo, etc.

Dromedary (dromedário)

These are two of my favourites photos from my holidays in Tunisia. The first one was shot by a tunisian boy who was selling coca-cola in the middle of the desert.

Scientific name: Camelus dromedarius

Tunisian desert

Camelo (dromedário) – deserto da Tunísia

A camel is an even-toed ungulate within the genus Camelus, bearing distinctive fatty deposits known as humps on its back. There are two species of camels: the dromedary or Arabian camel has a single hump, and the Bactrian camel has two humps. They are native to the dry desert areas of West Asia, and Central and East Asia, respectively. Both species are domesticated to provide milk and meat, and as beasts of burden.

The term camel, (from the Arabic جمل, ǧml, derived from the triconsonantal root signifying “beauty”), is also used more broadly to describe any of the six camel-like creatures in the family Camelidae: the two true camels, and the four South American camelids, the llama, alpaca, guanaco, and vicuña.

The average life expectancy of a camel is 40 to 50 years. A fully grown adult camel stands 1.85 m (6 ft 1 in) at the shoulder and 2.15 m (7 ft 1 in) at the hump. The hump rises about 30 inches (76.20 cm) out of its body. Camels can run at up to 65 km/h (40 mph) in short bursts and sustain speeds of up to 40 km/h (25 mph).

O Dromedário (Camelus dromedarius) é um mamífero nativo da região nordeste da África e da porção oeste da Ásia, sendo um típico exemplar da família Camelidae.

O dromedário ou camelo árabe distingue-se do camelo bactriano, nativo da Ásia Central, pela presença de apenas uma bossa, contra duas do último. A bossa do dromedário não é composta de água (ao contrário da lenda popular), mas sim de gordura acumulada pelo animal em períodos de alimentação abundante, gordura esta que lhe permite sobreviver em condições de escassez. A água é acumulada em sua corrente sanguínea, onde seus glóbulos vermelhos podem aumentar em até duzentos e cinquenta por cento seu volume para acumulá-la. Outras adaptações à vida no deserto incluem: uma pelagem esparsa e suave que permite refrigeração, variando do branco-sujo ao bege-claro ou castanho-escuro; suas patas, que têm base larga, com uma área que impede que se enterrem na areia; além de longos cílios que protegem os olhos do animal durante tempestades de areia.

Donkey (burro)

Scientific name: Equus africanus asinus

Gaia Biological Park (Portugal)

Burro – Parque Biológico de Gaia

The donkey or ass, Equus africanus asinus, is a domesticated member of the Equidae or horse family. The wild ancestor of the donkey is the African Wild Ass, E. africanus. In the western United States, a small donkey is sometimes called a burro (from the Spanish word for the animal).

A male donkey or ass is called a jack, a female a jenny, and offspring less than one year old, a foal (male: colt, female filly).

O asno (Equus africanus asinus), chamado ainda de burro, jumento, jegue ou asno-doméstico é um mamífero perissodátilo de tamanho médio, focinho e orelhas compridas, utilizado desde tempos pré-históricos como animal de carga. Os ancestrais selvagens dos asnos foram domesticados por volta de 5000 a.C., praticamente ao mesmo tempo que os cavalos, e desde então tem sido utilizados pelos homens como animais de carga e montaria.

Os asnos se classificam dentro da ordem dos Perissodáctilos, e à família dos Equídios, à qual também pertencem os cavalos, pertencendo ambos a um único gênero Equus.

Lusitano Horse (Puro-sangue Lusitano)

Scientific name: Equus caballus

EN 206 V.N Famalicão – Póvoa de Varzim

Cavalo Puro Sangue Lusitano

The horse (Equus ferus caballus) is a hooved (ungulate) mammal, a subspecies of the family Equidae. The horse has evolved over the past 45 to 55 million years from a small multi-toed creature into the large, single-toed animal of today. Humans began to domesticate horses around 4000 BCE, and their domestication is believed to have been widespread by 3000 BCE.

Although most horses today are domesticated, there are still endangered populations of the Przewalski’s Horse, the only remaining true wild horse, as well as more common populations of feral horses which live in the wild but are descended from domesticated ancestors.

The Lusitano is a Portuguese horse breed, closely related to the Spanish Andalusian horse. Both are sometimes called Iberian horses, as the breeds both developed on the Iberian peninsula, and until the 1960s they were considered one breed, under the Andalusian name. Horses were known to be present on the Iberian Peninsula as far back as 20,000 BC, and by 800 BC the region was renowned for its war horses. When the Muslims invaded Iberia in 711 AD, they brought Barb horses with them that were crossed with the native horses, developing a horse that became useful for war, dressage and bull fighting. In 1966, the Portuguese and Spanish stud books split, and the Portuguese strain of the Iberian horse was named the Lusitano, after the word Lusitania, the ancient Roman name for Portugal. There are three main breed lineages within the breed today, and characteristics differ slightly between each line. There is also the Alter Real strain of Lusitano, bred only at the Alter Real State Stud.

Puro Sangue Lusitano é uma raça de cavalos com origem em Portugal. É o cavalo de sela mais antigo do Mundo, sendo montado aproximadamente há mais de 5.000 anos. Os seus ancestrais são comuns aos da raça Sorraia e Árabe. Essas duas raças formam os denominados cavalos ibéricos, que evoluíram a partir de cavalos primitivos existentes na Península Ibérica dos quais se supõe descenderem directamente o pequeno grupo da raça Sorraia ainda existente. Pensa-se que essa raça primitiva foi cruzada com cavalos Brad oriundos do Norte de África e mais tarde tiveram também influência do Árabe.

O Puro Sangue Lusitano apresenta aptidão natural para alta escola (Haute École) e exercícios de ares altos, uma vez que põe os membros posteriores debaixo da massa com grande facilidade. Assim, o Lusitano revela-se não só no toureio e equitação clássica, mas também nas disciplinas equestres federadas como dressage, obstáculos, atrelagem e, em especial, equitação de trabalho, estando no mesmo patamar que os melhores especialistas da modalidade.

Foram estes cavalos portugueses, os utilizados na produção do filme “O Senhor dos Anéis“.